Apresentação dos Festivais Caminhos do Cinema Português, CineCoa 2016 e Cinanima 2016

O Caminhos Film Festival vai realizar a sua 22ª Edição entre os dias os dias 19 e 26 de Novembro em Coimbra e Leiria. A sua programação ainda não foi anunciada, mas a organização já divulgou a composição do júri do festival. A equipa do júri oficial é composta por caras bem conhecidas do grande público, e abrangem áreas como a música, a literatura e claro está, o cinema. Assim, a edição deste ano conta com o maestro António Vitorino de Almeida, o escritor João Tordo, o crítico/blogger Paulo Peralta, a actriz Teresa Tavares, o actor Luís Gaspar, a actriz Rita Salema e a realizadora Margarida Leitão, para avaliar a principal secção competitiva do festival, a Selecção Caminhos, onde concorrem as principais obras produzidas em Portugal e responsável por atribuir o Grande Prémio do Festival, Melhor Longa e Curta- Metragem, Melhor Animação, Melhor Documentário e Prémio Revelação. Em breve divulgaremos aqui a Programação deste certame.

O Festival Internacional de Cinema de Foz Côa – Cinecôa regressa em 2016 com um cartaz diversificado e pensado para diferentes públicos. De 17 a 19 de Novembro, o auditório de Vila Nova de Foz Côa vai exibir oito longas metragens, seis curtas e muitos filmes de animação para os mais pequenos. O destaque desta edição vai para o filme “Altamira”, do conceituado realizador Hugh Hudson, já que permite um paralelismo entre a caverna de Altamira, conhecida como a Capela Sistina da arte rupestre, e as gravuras do Parque Arqueológico do Vale do Côa. É claro que também h´ºa que destacar a exibição especial em regime de filme-concerto de “Nosferatu”, um clássico alemão de 1922, dirigido por Friedrich Wilhelm Murnau, que será acompanhado, em palco, pela Orquestra do Norte. O Festival Internacional de Cinema de Foz Côa também vai distinguir António-Pedro Vasconcelos, realizador de obras cinematográficas como “Jaime”, “Os Imortais”, “Call girl” ou “Os Gatos não têm Vertigens”. Da programação do Cinecôa constarão ainda filmes recentemente produzidos em Marrocos, Espanha, Reino Unido, França, Luxemburgo, Brasil e Cuba. A entrada é gratuita e são esperadas cerca de três mil pessoas ao longo dos três dias do festival.varro.

 O CINANIMA 2016 decorre de 7 a 13 de Novembro, na cidade de Espinho. A abrir o festival estará a projeção do mais recente filme do francês Jean-François Laguionie, “Louise no Inverno”. A fechar a semana, na sexta-feira, a proposta é aproveitar a oportunidade para assistir à longa metragem convidada “A Tartaruga Vermelha”, de Michaël Dudok e Pascale Ferra, vencedora do Prémio Especial no Festival de Cannes. A estas longas juntam-se muitas outras obras de diversas origens, já que este ano a Seleção Oficial do CINANIMA conta com um total de 76 filmes. Na Competição Internacional, o público vai poder assistir a cinco sessões com quarenta e nove curtas-metragens e quatro sessões, cada uma com uma longa-metragem. Nesta edição são quatro os filmes portugueses a concorrer a disputar um lugar entre os premiados no concurso internacional. A nível nacional, concorrem treze filmes ao Prémio Jovem Cineasta Português, nas categorias até 18 anos e dos 18 aos 30 anos, e dez filmes ao Prémio António Gaio, que distingue o melhor filme português em competição. Além competição, a oferta é, igualmente, gigante. “40 anos de cinema de animação” é o mote para mostrar a essência do CINANIMA que é afirmar-se como um evento de referência, mas sempre em construção, focado na difusão do cinema de animação e na criação de públicos. Não faltam motivos para festejar: o programa “40 anos, 40 filmes” traz uma escolha própria da Organização do Festival de entre todos os filmes vencedores nas 40 edições do CINANIMA; o estúdio inglês responsável por “A Fuga das Galinhas” e “A Ovelha Choné”, celebra em Espinho igualmente 40 aniversários com uma retrospetiva de Curtas e sessões especiais para famílias; a projeção de “Tempos Heróicos”, de József Gémes, um filme que ficou na memória de todos no CINANIMA que consideraram injusta a atribuição apenas de uma menção honrosa em 1983; e, dentro da evocação do 40 anos, há ainda espaço para os 25 anos de três importantes estúdios de animação portugueses: ANIMAIS, ANILUPA e ANIMANOSTRA e duas sessões onde foi dada “carta branca” ao realizador norte-americano Ron Diamond para a projeção de “Os primeiros passos do Gigante”, uma coleção de primeiros filmes de alguns dos maiores realizadores da indústria cinematográfica de animação. 
Como sempre, do programa do CINANIMA fazem ainda parte as Retrospetivas e o Grande Panorama. Este ano, há três retrospetivas temáticas: “One Shot”, dedicada a obras filmadas com recurso a um plano apenas, e que surpreenderá o público pela capacidade inventiva de contar uma narrativa visual com uma técnica simples mas de imenso potencial; “Afetos”, matéria da qual é também feito este festival e para a qual foram escolhidos trabalhos que mostram as diferentes abordagens criativas para dar vida em imagens à substância intangível das emoções afetivas; e “Animation4All”, onde serão exibidos trabalhos que mostram o cinema de animação não só como ferramenta de ensino enriquecedora para jovens e adultos com necessidades educativas especiais, mas também como modelo de intervenção social. Dentro das Retrospetivas, espaço para assistir ao melhor das cinematografias europeias, desta vez com destaque para a animação vinda da Bulgária, Bélgica e Espanha. Este bloco fica composto com a projeção dos filmes das duas escolas de animação convidadas: a dinamarquesa The Animation Workshop e a checa FAMU.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *